domingo, 27 de julho de 2008

Ligações

Apesar de terem aparecido recentemente alguns sites/blogs sobre Albergaria-a-Velha ainda falta muita coisa para termos uma presença mais marcante.

Podemos dar alguns exemplos de sites que fazem falta:

- sites locais de denúncia de situações que devereiam ser alterados
- sites com fotografias da nossa terra
- relatos de vida
- blogs de criadores culturais (escritores, pintores,...)
- directório comercial
- presença politica e cívica [não deve ser apenas na altura das eleições]
- em termos institucionais apenas a Camara Municipal e a Junta de Freguesia de Angeja tem site.
- fórum local
- etc...

A partir do site http://www.arouca.biz/ podemos tirar algumas ideias. Não podemos estar à espera que sejam apenas os outros a fazê-lo.

Desde que tenhamos algo para contar ou mostrar é possível criar um espaço virtual para tal. Não interessa ter muitos visitantes porque o espaço fica disponível para sempre.

Assembleia Municipal

Mandatos / constituição da Assembleia:

1977-1980-Presidente: Flausino José Pereira da Silva 1ºSecretário: Júlio Francisco Pereira 2ºSecretário: Lutero Letra da Costa

1980-1982- Presidente: António Augusto de Lemos Martins Pereira 1ºSecretário: Júlio Francisco Pereira 2ºSecretário: José António Andrade Dias Praça

1982-1986- Presidente: José António da Piedade Laranjeira 1ºSecretário: Júlio Francisco Pereira 2ºSecretário: José António Andrade Dias Praça

1986-1990-Presidente: Joaquim Augusto Ferreira Nadais 1ºSecretário: Fausto Ferreira Meireles 2ºSecretário: Jacinto Delfim Bastos Ferreira Martins

1990-1994-Presidente: Joaquim Augusto Ferreira Nadais 1ºSecretário: Alexandre José de Miranda Soares Pereira 2ºSecretário: Augusto Henrique Conceição Pinto da Silva

1994-1998-Presidente: Joaquim Augusto Ferreira Nadais 1ºSecretário: Manuel da Silva Oliveira 2ºSecretário: Maria Assunção Silva Dias

1998-2002-Presidente: José António da Piedade Laranjeira 1ºSecretário:José Licínio Tavares Pimenta 2ºSecretário:Mário Ferreira Couto

2002-2005-Presidente: José António da Piedade Laranjeira 1ºSecretário: Mário Ferreira Couto 2ºSecretário: Carlos Manuel Melo Mortágua

2006-2009-Presidente: Rogério São Bento Camões 1º Secretário: Mário Ferreira Couto 2º Secretário: Carlos Manuel Mortágua

sábado, 26 de julho de 2008

Museu de Albergaria - 1902

Patrício Teodoro Álvares Ferreira

Nascimento a ?
Óbito a ?

Professor e publicista do século XIX, de cuja vida pouco se conhece, a não ser que em 1877, habitava no Porto, dirigindo uma notável casa de educação. Naquela cidade publicou um periódico quinzenal, O Ensino, de 1 de Outubro de 1877 a 15 de Fevereiro de 1878.

Em 1902, foi um dos grandes impulsionadores da ideia para a construção de um Museu em Albergaria-a-Velha, no entanto, a sua construção apenas se iniciou muitos anos mais tarde.

http://portugal.veraki.pt/concelhos/concelhos.php?idconc=120&op=PR&gr=CL#
Veraki

(Data Nascimento: 26/12/1946 Data Fal. 10/04/1932)

http://www.geneall.net/P/per_page.php?id=254873

Jornalista, Professor, Autarca, provedor do Concelho, Fundador do Colégio Portuense

http://blogdealbergaria.blogspot.com/2007/09/gente-ilustre-em-albergaria-velha.html

Imagens de Albergaria (1)

11 de Abril de 1994: Mudança da escola do tribunal para o edificio da antiga cadeia

Dia da transferência dos alunos da Escola do Tribunal (onde funciona actualmente a Junta de Freguesia) para as instalações da antiga Cadeia (futuro Arquivo Municipal).

Nesta imagem do Edificio da Cadeia aparece um anúncio da "Exposição de Postais e Fotografias Antigas" organizada pelo Leo Clube de Albergaria entre 10 e 17 de Abril de 1994.




foto: Beira-Vouga

A Escola Nº3 de Albergaria-a-Velha funciona (va) num edifício adaptado que, ao longo de muitos anos, foi a sede da Cadeia Municipal. Dispõe de três salas de aula pouco funcionais, uma pequena sala de professores e uma arrecadação exígua. O espaço exterior é inadequado, dadas as suas poucas condições de segurança. Em frente e dos lados do edifício, existe um espaço aberto, calcetado e atrás encontramos um coberto, decididamente insuficiente para que as crianças brinquem em dias de chuva. Funcionam duas turmas com 32 alunos onde leccionam dois professores. Há ainda um professor dos Apoios Educativos que divide o seu tempo lectivo pelas três escolas da sede do concelho.

http://www.prof2000.pt/users/albergaria/eb1n3albergaria.htm

Inauguração do Hospital da Misericórdia

Diàriamente, a Imprensa regista novas inaugurações que se efectuam pelo País - testemunho eloquente da reconstruçäo material que se vem operando em todo o Portugal.

Albergaria-a-Velha, sede de um concelho do distrito de Aveiro que mantém inalteràvelmente, e com apreciável ritmo, o curso das suas progressivas realizaçöes, conta desde há dias - Maio, 1953 - com mais duas obras de importância e interesse, no aspecto da assistência social.

Com efeito, o novo Hospital da Misericórdia - erguido precisamente no local onde existiu o edifício hospitalar antigo - como o seu apetrechamento perfeito de tudo quanto há de melhor e com a capacidade para 53 camas, e a Casa da Criança, instituiçäo delineada com o fim de prestar assistência às crianças dos seis meses aos seis anos, säo duas realizações de que Albergaria-a-Velha se orgulha.

Ambas se devem ao espírito de iniciativa e de benemerência do presidente do Município, Comendador Augusto Martins Pereira, e auxílio do Estado.

Näo admira, pois, que a populaçäo da referenciada vila tenha consagrado ao dia das inauguraçöes a sua melhor atençäo, engalanando-se festivamente para receber o representante do Governo, sr. dr. Trigo de Negreiros, Ministro do Interior que ali se deslocou expressamente para tal fim.

Na sessäo que se realizou após as duas inaugurações, o sr. Ministro do Interior, depois de recordar que ainda há pouco tempo assistira à inauguração do maior hospital do País, que fica a ser um dos primeiros da Europa, afirmou;

"Se o novo Hospital Escolar de Lisboa, na grandeza da sua fábrica e na complexidade dos seus serviços, constitui eloquente testemunho da nossa capacidade de realização e da nossa solvência financeira, o hospital da vila de Albergaria bem como a Casa da Criança, que hoje inauguramos, valem pelo espírito de iniciativa e louvável amor ao torräo natal que revelam. E tanto aquela obra monumental como estas modestas obras säo igualmente revelações evidentes da mudança operada nos homens e nas coisas".
E acrescentou;
"As obras que inauguramos são pelo fim a que se destinam, aquelas que se fazem para durar; enquanto houver crianças há-de haver necessidade de manter instituições atinentes a cuidar da sua saúde física e moral e enquanto a doença constituir o mais natural dos acidentes da vida humana também deverá haver hospitais que sirvam, como este, para minorar os seus efeitos mediante o mais adequado tratamento. Entretanto por maiores que tenham sido as realizações materiais, muito maior é a renovaçäo espiritual do País, operada nos últimos vinte e cinco anos.

A ela ficamos a dever o reaparecimento daqueles homens bons, como o provedor da Misericórdia de Albergaria, para quem a prática do Bem dando aos necessitados o que sobra do seu tempo, das suas energias e da sua fazenda, é virtude tão natural que, por muito repetida, já quase se não nota. A nós, porém, não podem passar despercebidos a sua dedicaçäo e o seu zelo; e, por isso, aqui lhe deixo o apreço do Governo pela obra realizada, esperando que esta constitua incentivo, não apenas para a sua continuação, senão também para espelho e estímulo de quantos vivem em outros concelhos".

Mais adiante, o sr. dr. Trigo de Negreiros lembrou a apoteótica manifestação de há dias ao sr. Presidente do Conselho, dizendo, a propósito;
"Se a existência de uma Nação é - no dizer de Renan - um plebiscito de todos os dias, o passado 27 de Abril foi, sem dúvida, o mais concludente dos plebiscitos, visto que ele se realizou através da lista aberta das manifestações populares, desde as mais abastadas de bens de fortuna às mais humildes. O Chefe do Estado, intérprete dos anseios da Nação, consagrou com o seu alto prestígio todas as manifestações que então se fizeram, e até a elas se antecipou ao convocar a Assembleia Nacional para lhe dar conhecimento da mensagem que, através dela, dirigiu ao País. A nobreza das suas palavras ficará a perdurar como símbolo de justiça e de elegância moral".

E terminou;

"É certo que no dia 27 se consagrou um Homem; mas para além dele, consolidou-se uma política, enalteceu-se um regime e engrandeceu-se uma Nação. Se o poder representa um valor espiritual, o País soube ser fiel a quem durante vinte e cinco anos o soube exprimir. Saibamos, portanto, recolher do dia 27 de Abril a lição que contém; a nossa unidade continua a constituir a nossa força; e a fidelidade aos Chefes - Craveiro Lopes e Salazar - é a nossa divisa. Mas a unidade no plano nacional supöe e implica necessàriamente o bom entendimento e o espírito de cooperaçäo no plano regional".

-------------------------------------------------------------------------------------
Efemérides - Autor: C.Martins <caparica@sympatico.ca> Data: 18-05-2007
http://jn2.sapo.pt/seccoes/mensagem.asp?118466

Inauguração do Hospital- 03/05/1953

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Pelas Ruas da Cidade

O estudo dos aglomerados populacionais trouxe uma interessante questão: quais os dados demográficos do nosso concelho, Albergaria-a-Velha; uma breve visita ao site da câmara de Albergaria-a-Velha (http://www.cm-albergaria.pt/) deu-nos vários dados estatísticos interessantes.

Distrito: AveiroNº Freguesias: 8Área: 15 575haHabitantes (concelho): 24 638Habitantes (Freguesia de Albergaria-a-Velha): 7421Densidade Populacional: 162 hab/Km2
(...)

Isto suscitou uma dúvida interessante: quais os requisitos para uma área urbanizada ser considerada "cidade" e seria Albergaria-a-Velha uma possível cidade? Ora vejamos os requisitos para tal:

- Mais de oito mil eleitores, em aglomerado populacional contínuo;- Pelo menos metade dos seguintes equipamentos colectivos: Instalações hospitalares com serviço de permanência, farmácias, corporação de bombeiros, casa de espectáculos e centro cultural, museu e biblioteca, instalações de hotelaria, estabelecimento de ensino preparatório e secundário, estabelecimento de ensino pré-primário e infantários, transporte público (urbano e inter-urbano) e/ou parques ou jardins públicos.

Analisando o caso de Albergaria, esta tem apenas 7421 habitantes, 579 a menos do que os necessários para ser considerada uma cidade. Esta não dispõe igualmente de certas infra-estruturas, como um hospital, um museu ou uma casa de espectáculos. É pena! Mas também, quais seriam as vantagens de ser uma cidade, perguntam vocês...

discente K

Texto produzido por O GEO às 21:25
retirado de http://altos-e-baixos.blogs.sapo.pt/410.html


---
Pelo menos metade dos seguintes equipamentos colectivos (10):

N-Instalações hospitalares com serviço de permanência
S-farmácias
S-corporação de bombeiros
N-casa de espectáculos e centro cultural
N-museu
S-biblioteca
S/N-instalações de hotelaria
S-estabelecimento de ensino preparatório e secundário
S-estabelecimento de ensino pré-primário e infantários-transporte público (urbano e inter-urbano)
S-parques ou jardins públicos.

quinta-feira, 24 de julho de 2008

Citações

Consta que o projectado centro comercial de Albergaria-A-Velha já tem data marcada para o seu arranque: dia de S. Nunca À Tarde.

Arauto de Osseloa, 01/05/1982

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Cronologia

---- ------------------------------------------------------------
Ano Descrição
------------------------------------------------------------
1117 Carta de Couto de Osseloa
1496 Criação da freguesia de Santa Cruz
1514 Foral de Frossos
1514 Foral de Angeja
1516 Foral de Paus
1728 companhia de Celulose do Caima
1744 Minas do Palhal
1809 1º combate entre as tropas do general Soult e os soldados portugueses comandados por Wellesley (Alb.-a-Nova)
1834 Criação do Concelho de Albergaria-a-Velha
1846 Restauração do Concelho
1853 Anexação das freguesias de Angeja e Frossos
1855 Anexação das freguesias de Ribeira de Fráguas e Branca
1855 Fundação da confraria que ergueu a Capela da Senhora do Socorro
1857 Capela da Senhora do Socorro
1860 Abertura da estrada de Aveiro a Albergaria (depois prolongada a Viseu)
1868 Início da construção do edificio Paços do Concelho
1872 Fábrica Papel de Vale Maior
1887 Bouquet d'Angeja - primeiro jornal do concelho
1887 Instalação do Julgado Municipal
1881/9 Fábrica do Carvalhal
1890 Criação da comarca
1897 Conclusão do edificio dos Paços do Concelho
1910 Caminhos de Ferro
1911 Via férrea Sernada-Águeda-Aveiro
1921 Instalação da Fundição Lisbonense (futura Fábrica ALBA)
1923 Fundação da Misericórdia de Albergaria-a-Velha
1925 Bombeiros Voluntários de Albergaria
1927 Colégio de Santa Cruz - primeiro estabelecimento de ensino secundário do Concelho
1943 Inauguração da ponte de betão de Angeja, pelo Ministro Obras Públicas Eng. Duarte Pacheco
1947 Instalação do Colégio de Albergaria
1950 Abertura do Cine Teatro Alba
1970 Escola Secundária
1983 Criação da Zona Industrial

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Evolução do municipio


Albergaria-a-Velha tem, actualmente, oito freguesias, mas nem sempre foi assim. Em 1834, quando o General Torres decidiu premiar os Albergarienses pela sua ajuda na luta contra os absolutistas, criou o Concelho com quatro freguesias: Albergaria-a-Velha e S. João de Loure (anteriormente pertencentes a Aveiro), Vale Maior (retirada ao concelho de Lamas) e Alquerubim (com a extinção do concelho de Paus).

No entanto, esta criação não foi pacífica. Os habitantes de Paus não gostaram da “despromoção” e, em 1842, por influência de um jurisconsulto de Alquerubim (José Corrêa de Miranda), Costa Cabral “manda que a denominação do concelho de Albergaria volte a ser de Paus”. Com a derrota dos Cabrais, quatro anos depois, o município de Albergaria-a-Velha foi restaurado e os elementos da dissolvida Câmara de Paus foram intimados a “fazerem entrega sem demora de tudo à Comissão Municipal nomeada para Albergaria”.

Em 1854, o fim do Concelho de Angeja leva à inclusão das freguesias de Angeja e Frossos e, finalmente, um ano depois, são acrescentadas as freguesias da Branca e da Ribeira de Fráguas, ambas pertencentes ao Concelho de Bemposta que é extinto.

(texto publicado na Agenda nº 52/CMAV)

Cronologia:

- Final de 1834 : Criação do concelho com as freguesias de Loure e Albergaria-a-Velha (ambas pertencentes a Aveiro) e Vale Maior (do Concelho de Lamas/Vouga);
- Janeiro de 1835 : Instalação do Concelho;
- 29 de Setembro de 1835 : Anexação da Freguesia de Paus por ofício do Governador Civil de Aveiro;
- 31 de Dezembro de 1836 : Albergaria já aparece como sede do Concelho aquando da aprovação do Código Administrativo;
- Maio de 1842 : A sede do Concelho passa para Paus;
- Maio de 1846 : Albergaria-a-Velha volta a ser a sede do Concelho com a revolução da Maria da Fonte;
- 31 de Dezembro de 1853 : Extinção do Concelho de Angeja e anexação das freguesias de Angeja e Frossos;
- 24 Outubro de 1855 : Anexação das freguesias de Branca e Ribeira de Fráguas do Concelho de Bemposta.

Curiosidades:

- A partir do Decreto de 18 de Julho de 1835 o pais passou a estar dividido em distritos, concelhos e freguesias;
- O Concelho de Paus foi anexado ao Concelho de Albergaria-a-Velha em 1835 e voltou a ser sede do Concelho entre 1842 e 1846, durante o Cabralismo;
- O Concelho de Angeja, criado em 1834 apenas com uma freguesia, foi extinto e esteve integrado no Concelho de Albergaria nos anos de 1835 e 1836. Depois foi reconstituído e passou a ser formado por Angeja, Fermelã, Canelas e Frossos;
- Frossos foi sede de concelho e pertenceu à Comarca de Esgueira criada no século XVI. O Concelho foi extinto em 1836 por integração no vizinho concelho de Angeja;
- O Concelho de Sever do Vouga foi extinto em 1895 e esteve integrado, temporariamente, no Concelho de Albergaria, entre fins de 1896 e Janeiro de 1898.

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Novos Arruamentos

Com a abertura da Escola secundária e da Escola Preparatória Conde D. Henrique foi criada uma nova zona habitacional conhecida por "Novos Arruamentos das Escolas Técnicas". Com o tempo passou a ser conhecida apenas por "Novos Arruamentos".

Nesse local estão situados vários serviços importantes como a Repartição de Finanças, a Segurança Social, as Piscinas, o Pavilhão Municipal, etc...

Os objectivos deste blog são criar na net um novo espaço com informações sobre Albergaria-a-Velha e o seu concelho.

Para quem consulta o blog: de vez em quando não custa nada dar uma sugestão, focar um erro encontrado, etc...