terça-feira, 26 de maio de 2009

Distrito de Aveiro


DISTRITO - Resumo Histórico da Evolução do Distrito

São 19 os concelhos que compõem actualmente o Distrito de Aveiro. Mas nem sempre foi assim.

O Distrito foi criado a 18 de Julho de 1835, constituído, então, por 53 concelhos.

As primeiras alterações aconteceram aquando das reformas de Passos Manuel que, por decreto de 6 de Novembro de 1836 retirou ao distrito de Aveiro 25 dos seus concelhos, passando a fazer parte deste distrito os concelhos de Aradas e Esgueira.

Entretanto, a 31 de Dezembro de 1853 eram suprimidos os concelhos de Eixo, Pereira Jusã, Sôza e Vouga, sendo o concelho de Eixo integrado no de Aveiro, com excepção da freguesia de Fermentelos que seria anexada ao concelho de Oliveira do Bairro.

Um decreto de 24 de Outubro de 1855 veio suprimir os concelhos de Angeja, Bemposta, Fermedo e S. Lourenço do Bairro. Pelo mesmo decreto, o concelho de Mira passou para o distrito de Coimbra, por troca com o concelho de Mealhada.

Nos finais de 1855 o distrito de Aveiro já só tinha 16 concelhos, assim se mantendo por vários anos, já que só em 1899 (17 de Setembro) foi criado o concelho de Espinho que incorporou este distrito mantendo-se os dezassete concelhos até finais do séc. XIX.

Em 1926 foram criados os concelhos de S. João da Madeira (11 de Outubro) e da Murtosa (29 de Outubro) dando a composição do actual distrito de Aveiro anotando-se a criação do concelho de Vale de Cambra que substituiu o de Macieira de Cambra (31 de Dezembro).

Página do Governo Civil de Aveiro

  • 18/07/1835 - criação do distrito com 53 concelhos.
  • 06/11/1836 - menos 25 concelhos; criação de Aradas e Esgueira.
  • 31/12/1853 - Eixo, Pereira Jusã, Sôza e Vouga.
  • 24/10/1855 - supressão dos concelhos de Angeja, Bemposta, Fermedo e S. Lourenço do Bairro - saida de Mira em troca com Mealhada.
  • 31/12/1855 - 16 concelhos
  • 17/09/1899 - criação do concelho de Espinho (17).
  • 11/10/1926 - S. João da Madeira
  • 29/10/1926 - Murtosa (19)
  • 31/12/1926 - criação do concelho de Vale de Cambra em substituição do de Macieira de Cambra (19).

quarta-feira, 20 de maio de 2009

O melhor e o pior em Albergaria-a-Velha

Junta de Freguesia de Albergaria-a-Velha

Aspectos Positivos

O relacionamento saudável e institucional. A celebração de protocolos e a dinamização do trabalho em parcerias. Houve uma calendarização transparente dos apoios atribuídos às colectividades.

Aspectos Negativos

Dificuldades de cumprimento no horizonte temporal de algumas obras solicitadas por nós e integradas no Plano de Actividades.

José Manuel Menezes, Presidente da Junta de Freguesia de Albergaria-a-Velha

Junta de Freguesia de Frossos

Aspectos Positivos

Nunca deixaram de me atender e de falar comigo normalmente como fazem com os outros presidentes de junta.

Aspectos Negativos

Penso que ainda não houve muita disponibilidade do executivo para se deslocar à freguesia. Já por várias vezes o solicitei, mas ainda não houve essa oportunidade e já decorreu praticamente um ano.

João Miguel Coutinho, Presidente da Junta de Freguesia de Frossos

Clube de Albergaria

Aspectos Positivos

Cumprimento total dos compromissos que tem com os clubes. Os subsídios combinados estão pagos na íntegra e isso para nós é muito positivo.

Aspectos Negativos

Não tenho muita coisa a dizer, prefiro destacar os positivos. Mas talvez o facto de esses subsídios não serem mais alargados.

António Oliveira, Presidente do Clube de Albergaria

SEMA

Aspectos Positivos

O apoio ao projecto do UrbCom.

Aspectos Negativos

O facto de ter permitido a abertura de, pelo menos, uma média superfície no concelho, em que a SEMA votou contra.

Pedro Marques, Presidente da Associação Empresarial de Sever do Vouga, Estarreja, Murtosa e Albergaria-a-Velha

Grupo Recreativo e Cultural de Telhadela

Aspectos Positivos

Os investimentos que a Câmara está a fazer nas áreas da saúde, educação, desporto e cultura são uma boa aposta.

Aspectos Negativos

É natural que tenha um ou outro aspecto negativo, somos humanos e todos temos defeitos, mas com certeza que os investimentos estão a ser feitos para melhorar as condições dos munícipes.

António Tavares, Presidente do Grupo Recreativo e Cultural de Telhadela

ed. 870, 21 de Novembro de 2008
Texto de Pedro José Barros / O Aveiro

Algumas sugestões deste blog:

1 - Presidência Aberta nas freguesias
2 - Dinamização do turismo e do comércio local
3 - Criação da Feira das Associações
4 - Mais cooperação entre as várias associações

sábado, 16 de maio de 2009

Livros III


O catálogo dos livros que se encontram nas cinco bibliotecas do Concelho (quatro escolares e uma municipal) já pode ser consultado através da internet em http://www.cm-albergaria.pt/bibliopac.htm.

É possível fazer-se uma pesquisa simples por título, autor, assunto, data de publicação ou palavra, ou então, uma pesquisa mais avançada através de uma expressão específica. Existe também um menu “novidades” com os registos das entradas por data, mês ou ano.

Está previsto um portal próprio onde serão apresentadas todas as actividades promovidas pelas bibliotecas do Concelho.

http://www.cm-albergaria.pt/bibliopac.htm


Livros II

Novas edições

No dia 23 de Abril comemorou-se o VI Aniversário da Biblioteca Municipal de Albergaria-a-Velha com a oferta da publicação "I História On-line + Contos do Atelier de Escrita Criativa".

Foi lançado recentemente o livro sobre as Invasões Francesas e ainda livros do Dr. Mário Jorge Lemos Pinto (tese de doutoramento) e António Loureiro (recolha de textos do presidente da Unimadeiras).

Disponibilização na internet de livros de autores albergarienses
A CMA chegou a ponderar a reedição das monografias do Dr. António Pinho e do Dr. Ricardo Souto. A internet (página da edilidade, googlebooks, outro local) poderia ser um espaço privilegiado para ter essas obras.

Na internet poderiam ser disponibilizados livros de autores albergarienses quer sejam edições da Câmara, autorizados pelos seus autores ou pelos herdeiros ou ainda outras situações.

- Dr. António de Pinho - Ricardo Nogueira Souto - Eugénio Ribeiro - Alexandre Albuquerque- Vasco de Lemos Mourisca - livros editados pela CMA ou com autorização dos autores

Sugestões de futuros livros com várias temáticas sobre Albergaria-a-Velha

Há algumas edições já anunciadas e que estarão em curso: livro sobre o Carro Alba, livro sobre Telhadela, livro sobre a Banda de Angeja.

Outros:

Fábricas Alba / Família Martins Pereira
Sport Clube Alba / Clube de Albergaria / Outras associações ou colectividades
Tradições
Passado e Presente
Freguesias
Nossa Senhora do Socorro
etc...

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Livros I

O Cine -Teatro Alba recebe, a 15 de Maio, pelas 21h00, o I Sarau da Rede de Bibliotecas de Albergaria-a-Velha. Nesta noite mágica, alunos e professores demonstram como os livros podem ser o ponto de partida para várias manifestações artísticas, desde a dança, a música, o teatro ou o recital.

A Biblioteca Escolar de São João de Loure aposta na dramatização de textos clássicos, tais como a peça "Inês de Castro" ou o episódio "A Ilha dos Amores" de "Os Lusíadas” e a declamação de poesia, com o poema "Xadrez".

A Biblioteca Escolar da EB de Albergaria dá ênfase à poesia, com dois recitais: "À maneira de…" Helena Pires e "Loas à Chuva e ao Vento" de Matilde Rosa Araújo. As Advinhas Interactivas prometem captar a atenção do público.

Os poemas também dominarão a apresentação da Biblioteca Escolar da EB 2,3 da Branca, que apresenta Poesia Dançada, Cantada, Vista e Dita e Vista.

Quanto à Biblioteca Escolar da Escola Secundária, é possível contar com uma dramatização de "O Principezinho”, a declamação de "Trovas do Vento que passa" e um momento musical com a "Canção do Mar" de Dulce Pontes.

Nesta noite à volta dos livros, eles estarão, ainda, presentes através do Bookcrossing, a maior comunidade de leitores do mundo, da qual a Biblioteca Municipal de Albergaria-a-Velha faz parte. Todas as pessoas são convidadas a trazer um livro e a "libertá-lo", para que outro possa desfrutar da sua leitura, num verdadeiro espírito de partilha.

Fonte: CMA

Eleições Autárquicas 1985


CAMARA MUNICIPAL

Eleitos:

CDS - Dr. Rui Marques (Presidente); Alexandre Soares Pereira e Saúl Oliveira Silva;

PSD - Dr. Mário Jorge. Prof. Rogério Camões e Eng.º Téc. Américo Chaló;

PS - Aires Ferreira

Total de inscritos: 16 306; total de votantes: 10 584; abstenções: 5722 (35%)

O facto mais saliente foi a vitória para a Câmara do Candidato do CDS, Dr. Rui Marques.

ASSEMBLEIA MUNICIPAL

PSD - Eng.º José Laranjeira, Dr. Flausino da Silva, Fausto Meireles, Mário Couto, Dr. António Santos, Dália Nunes, José Parente, Manuel Santos e Jorge Melo;

CDS - Joaquim Nadais, Tércio Silva, José Resende, Manuel Neves, Pedro Marques, Alberto Matos, Dr. Júlio Pereira e Fernando Silva;

PS - Jacinto Martins, António Almeida e Hernâni Fernandes;

APU - Carlos Lopes.

Em 1982 eram eleitos 35 deputados e em 1985 apenas 21.

O PSD foi o partido mais votado e com mais deputados mas o CDS juntou-se ao PS para eleger Joaquim Nadais como Presidente da Assembleia Municipal.
 

JUNTAS DE FREGUESIA

As Juntas de Freguesia eram constituídas por 13 elementos, em 1982, e passaram a 9 elementos. Excepção para Frossos que tinha nove e passou a ter sete.

+ Albergaria-a-Velha

CDS - Fernando N. da Silva, António de B. Marques, Arménio Silva e Orlando de Oliveira; PSD — Henrique Castro, Flávia Fonseca e António Parente;  PS — Albérico Alho e Manuel Pereira.

+ Alquerubim

PSD — Carlos Mortágua, Adelino Silva, João Pereira, José Silva, João Melo e Narciso Branco; CDS - Secundino Branco; PS — José Carlos Oliveira e António Fernandes.

+ Angeja

CDS - António das Neves, António Salgado; Altino de Pinho, António Trindade e Ermelinda Salgado; PSD - José Tavares, Domingos da Silva e Mário Couto; CDS - Fernando N. Nogueira

+ Branca

PSD - Manuel Antão, Júlio de Bastos, Fernando Ferreira e António S. Ferreira; CDS - Manuel Malheiro, Albérico Almeida, Manuel Silva e Manuel Angera; PS - José António da Silva.

+ Frossos

PSD - Fernando Praça, Jorge Melo, José Pereira, Manuel Paiva e António de Abreu; CDS — José Santos e Orlando Simões.

+ Ribeira de Fráguas

CDS - Leonardo Pereira. Albino da Silva, Fernando da Silva, César de Almeida e Aldina da Silva; PSD — Fernando Marques, João Silva e Manuel Bastos; PS — Maria Assunção Dias.

+ S. João de Loure

CDS — Plácido da Silva. Manuel da Silva, António Lopes, Manuel Oliveira e Mário de Pinho; PSD — Tobias de Figueiredo e Carlos Morais; FCI — Manuel Miranda e Manuel Ribeiro.

+ Valmaior

PSD — Carlos Tavares, Joaquim Pereira e Maria Marques; CDS — Virgílio da Silva, Alberto Matos e Manuel dos Santos; PS - António Nogueira, Carlos Nunes e Carlos Salgueiro



-
Mandato

Joaquim Augusto Ferreira Nadais - Presidente

Mandatos: Janeiro de 1986 a Janeiro 1990 
Constituição da Assembleia: 

Presidente: Joaquim Augusto Ferreira Nadais
1ºSecretário: Fausto Ferreira Meireles
2ºSecretário: Jacinto Delfim Bastos Ferreira Martins
Vogais: José António da Piedade Laranjeira
Flausino José Pereira da Silva
Tércio Melo Silva
José António Resende Marques da Silva
Mário Ferreira Couto
Manuel Henriques da Conceição Neves
António Carvalho dos Santos
António Almeida
Dália Rosa Faria Nunes
Pedro Tomás Pereira Marques
José Manuel Correia Parente
Alberto José Mouteiro de Matos
Hernani Manuel Reis Aidos Fernandes
Manuel Pereira dos Santos
Júlio Francisco Pereira
Carlos Lopes
Jorge da Silva Melo
Fernando Alberto Esteves Nogueira da Silva
Fernando Nogueira da Silva
Carlos Manuel Melo Mortágua
António Lopes das Neves
Manuel Nunes Antão
Fernando António Andrade Dias Praça
Leonardo Silva Pereira
Plácido Melo da Silva
Carlos Manuel de Araujo Tavares







Eleições Autarquicas de 1985 Município de ALBERGARIA-A-VELHA
TOTAL FREGUESIAS 8 INSCRITOS 16302
++++++ ASSEMBLEIA MUNICIPAL ++++++ ++++++++ CAMARA MUNICIPAL ++++++++
MANDATOS 21 MANDATOS 7
VOTANTES 10584 64,9 VOTANTES 10584 64,9
+++++++++++++++++++ VOTOS +++ MAND +++++++++++++++++++ VOTOS +++++ + MAND
BRANCOS 192 1,8 BRANCOS 159 1,5
NULOS 190 1,8 NULOS 173 1,6
PSD 4356 41,2 9 CDS 4217 39,8 3
CDS 3604 34,1 8 PSD 4144 39,2 3
PS 1739 16,4 3 PS 1507 14,2 1
APU 503 4,8 1 APU 384 3,6


























































PRESIDENTE DA CAMARA - CDS


STAPE Informação resultante do escrutínio provisório organizado pelo STAPE - Secretariado Técnico dos Assuntos para o Processo Eleitoral  (ANMP)

terça-feira, 12 de maio de 2009

O primeiro Código de Posturas Municipais

Foi em 1834, na época conturbada que se seguiu à fratricida guerra entre liberais e miguelistas, que veio a surgir, pela primeira vez, o concelho de Albergaria-a-Velha, criado por uma determinação do general Torres (José António da Silva Torres Pouce de León), comandante militar da Província do Douro.

Nesta decisão terá influído o conhecimento da vila e do grupo de albergarienses liberais que,em 1828, o auxiliaram quando dos violentos combates do Marnel e da Ponte do Vouga travados contra as tropas fiéis a D. Miguel. Nessa época havia em Albergaria um forte núcleo liberal, de que sobressaíam o Dr. Jose Henriques Ferreira e irmãos, os quais apoiaram as tropas do então coronel Torres e, do facto, vieram a sofrer duras consequencias. Os que não quizeram ou não puderam exilar-se, como ele fez, ou não se homiziaram como o Dr. João Ferreira da Costa Sampaio, foram presos, quando não enforcados, como João Henriques Ferreira Junior.

Entende-se assim que, após a vitória dos apoiantes de D. Pedro IV, O general Torres se lembrasse das gentes liberais de Albergaria-a-Velha e, aproveitando-se do seu alto cargo, tomasse esta vila cabeça do concelho constituído pelas freguesias de Albergaria e S. João de Loure, antes pertencentes ao concelho de Aveiro, Alquerubim, do extinto concelho de Paus e Valmaior, subtraída ao concelho do Vouga, com sede na pequena povoação com o mesmo nome.

O nosso concelho passou a fazer parte do também nóvel distrito de Aveiro, criado pelo Decreto de 18 de julho de 1835, no qual, por lapso evidente, entre os 52 concelhos, que o constituíam, surgia o de Páos, em vez do de Albergaria-a-Velha. O erro foi depressa rectificado, como se deduz ae um ofício do Governador Civil, de 29 de Setembro do mesmo ano, dirigido ao Presidente da Câmara Municipal de Albergaria-a- Velha, informando que, «para todos os fins administrativos» o que fora «a camara municipal de Páos» exercerá «tão somente as funções de Junta de Paróchia, como Delegação dessa Câmara Municipal» (a de Albergaria). Este facto é confirmado pela Portaria de 31 de Dezembro de 1836, assinada pelo ministro Manuel da Silva Passos, mais conhecido por Passos Manuel, autor da reforma administrativa desse ano.

A Câmara Municipal, com os seus membros eleitos em todo o concelho, iniciara então a sua natural actividade, cheia de dificuldades, procurando defender a tranquilidade e o bem estar das populações ainda perturbadas pelas consequências da longa e sangrenta guerra civil que, como sempre, tantos ódios atiçou, e tanta dor semeou.

Meia dúzia de anos após a sua constituição, em «Sessão publica extraordinária de 21 de Julho de 1841», é aprovada a primeira compilação de «Posturas da Câmara Municipal do Concelho de Albergaria-a-Velha» que vem a ser impressa, nesse mesmo ano, pela Typographia da Administração Geral d'Aveiro.

Porque me parece que o exemplar que possuo é raro e ainda porque creio ter interesse conhecer o nome dos primeiros autarcas do nosso concelho que levaram a cabo tão meritória tarefa, aqui os menciono na certeza de que se reconhecerão apelidos vulgares entre nós.

«Os Vereadores: Presidente, João Marques Pires.— Fiscal, Francisco Pereira.— Manuel Joaquim Alves d'Araújo.— António José da Silva Larangeiro. -António Marques da Silva.

«Os Membros do Conselho Municipal:—Patrício Theodoro Alvares e Carvalho.— Ant.º Augusto Henriques Ferreira. — João Rodrigues Branco Junior. — José Marques Pires. — João Marques Mendes. — José Correia de Mello. - Basilio Ferreira Vidal. — Francisco Joaquim Cruz. - Romualdo Marques de Lemos. - Manuel José da Cruz. — Domingos da Silva Larangeiro. — Agostinho da Silva. — Ant.º Marques do Valinho. — João Ant.º Ferreira da Fonseca. — Ant.o Nunes da Silva. - Venancio Correia de Mello. — Joaquim d'Almeida. — José Correia de Mello do Palheirinho.

O Secretario: — Bento Alvares Ferreira.

Estes homens que, graciosamente, há quase um século e meio, trabalhavam pelo progresso das suas terras e pelo bem dos seus concidadãos, merecem que se recorde a sua obra, analisando-a no contexto da época e das condições em que a vida decorria.

Logo a abrir a compilação de posturas, e como preâmbulo Justificativo, apresentam desta forma precisa as esclarecedoras razões do seu labor, que transcrevo textualmente:

«A Camara Municipal do Concelho d'Albergaria-a-Velha e Membros do Conselho do Município reunidos em Sessão publica extraordinaria de 21 de Julho de 1841 annos, reconhecendo a necssidade de Leis Municipaes, que regulem a Policia interior e bom regímen do Concelho o qual ha pouco creado, e formado de partes d'outros Concelhos, precisa de Leis proprias e particulares acommodadas às necessidades dos Povos: fazem por isso, em conformidade com a Carta de Lei de 29 d'Outubro de 1840, as seguintes Posturas:» .

Estas consideraçães provém de homens necessariamente esclarecidos, pois:

1 — reconhecem que os costumes não tinham força coercitiva para se conseguirem as melhores condições de convivencia;

2 — entendem que a heterogeneidade resultante da junção de parcelas de vários concelhos cerceia a força que proviria de uma uniformidade dos mores, aceites como único comportamento admíssível, o que só se consegue com uma longa e homogeneizante integração;

3 — expressam a necessidade de Leis Municipais, como forma de impor, onde os mores falham numa certa padronização que conduzirá ao «bom regimen do Concelho» desejado pelos Povos.

Prudentes, mas realistas, eram estes autarcas que devotadamente se entregavam ao bem estar e engrandecimento da sua e nossa Terra (...)

Albuquerque Pinho, Beira Vouga, 20 de Dezembro de 1985

Nota: Bento Alvares Ferreira foi também o autor das segundas posturas municipais.

sábado, 9 de maio de 2009

Um campeão feito de alumínio de panelas

III Edição do Salão Motorclássico
Automóveis clássicos deslumbraram Lisboa

Chegou ao fim a III Edição do Salão Motorclássico. Entre os dias 24 e 26 de Março, a FIL foi palco do maior certame do género em Portugal, onde estiveram expostas dezenas de automóveis e motociclos cujo design, genialidade e exclusividade os transformam em «clássicos». Promover as vendas e o investimento nesta área foram os principais objectivos do evento, que recebeu cerca de 35 mil amantes de automóveis.

(...)

Um campeão feito de alumínio de panelas

A grande atracção da Motorclássico foi o automóvel de competição Alba, o único sobrevivente de três exemplares que foram construídos em 1952. Esta foi a única marca que chegou a ousar construir um motor próprio português, sendo este carro um verdadeiro exemplo de modernidade. Reza a história que o alumínio com que foi feito é igual ao das «Panelas Alba», fabricadas pelo mesmo construtor. Este exemplar foi encontrado no quintal do piloto de competição António Augusto Martins Pereira, que o conduziu no circuito da Boavista, antes de se retirar das pistas nos anos 50. O restauro está a ser feito pelo Museu do Caramulo.

Paula Cosme Pinto / EXPRESSO Online, 27/3/2006

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Medalhas Junta de Freguesia de Albergaria

No dia 29 de Abril realizou-se a Assembleia de Freguesia de Albergaria-a-Velha.

Foram atribuídas medalhas ao ex-presidente Fernando Nogueira da Silva e às colectividades da freguesia com pelo menos 25 anos de actividade.

A cerimónia de entrega será em data a definir brevemente.

http://novos-arruamentos.blogspot.com/2009/02/junta-de-freguesia-de-albergaria-velha.html

http://novos-arruamentos.blogspot.com/2008/12/regulamento-das-distines-honorficas-da.html