sábado, 31 de agosto de 2013

Superfícies comerciais

Minipreço

Depois de vários avanços e recuos, Albergaria-a-Velha tem finalmente em funcionamento uma média superfície comercial, instalada pelo Minipreço, que vai funcionar diariamente, incluindo domingos e feriados.

Durante mais de 20 anos, os pequenos comerciantes conseguiram travar vários projectos, mas desta feita, os entraves foram ultrapassados e o público consumidor vai mesmo aderir à nova moda de grandes e médios espaços comerciais.

A primeira superfície comercial instalada na vila de Albergaria-a-Velha, abriu ao público na manhã do passado dia 30 de Novembro, na rua Marquês de Pombal, perto do posto da GNR.

Trata-se do Minipreço, ligado ao grupo Promodes, de que faz parte o Carrefour.

Em Albergaria-a-Velha o Minipreço optou por um espaço de média dimensão, com uma área coberta com cerca de 950 metros quadrados, a que acresce o parque de estacionamento exterior, com capacidade para 70 veículos, incluindo três lugares para deficientes.

O Minipreço vai funcionar diariamente, incluindo domingos e feriados entre as 9 e as 21 horas e conta com cinco caixas e sete funcionários, coordenados pelo gerente Helder Santos.

Na manhã do primeiro dia registou-se um movimento considerável de clientes, que ali podem encontrar, em zonas devidamente compartimentadas e assinaladas, artigos que vão da alimentação e bebidas, ao doce e sobremesas, drogaria, detergentes, perfumaria ou talho, neste caso com carne cortada na hora ou embalada. Os clientes podem utilizar o cartão Minipreço, estando o estabelecimento dotado de serviço Multibanco, prevendo-se no futuro próximo a instalação de uma caixa automática, destinada a levantamento de dinheiro e outras operações bancárias.

O aparecimento de espaços de média e grande dimensão em Albergaria-a-Velha foi, ao longo das últimas duas décadas de forte oposição do pequeno comércio local, mas desta vez a própria Câmara Municipal, viu-se forçada a dar parecer favorável ao projecto do Minipreço, podendo em breve surgir novas áreas do género na vila ou mesmo no concelho.

Apesar desta abertura, alguns comerciantes contactados acerca de eventuais efeitos negativos para os seus pequenos supermercados, mostraram-se algo preocupados, mas conformados, acreditando, no entanto, que a ligação directa estabelecimento–cliente, muitas das vezes assente na proximidade entre as duas partes, ainda vai continuar a pesar nos hábitos das pessoas, que preferem o chamado atendimento pessoal e personalizado. De resto, em vários desses estabelecimentos continua a funcionar o ancestral hábito de muitos clientes irem adquirindo bens e produtos que liquidam no final do mês, quando recebem o cheque do vencimento, que serve para pagar a conta e receber o troco em dinheiro «vivo», destinado à restante gestão da vida das famílias. E como reconhecem empresários e consumidores, esta faceta vai continuar e deste moda mantém uma ligação que em muitos casos já vem dos tempos das lendárias mercearias, lojas e tabernas do século passado.

Jacinto Martins / Jornal de Albergaria

Intermarché chega ao concelho de Albergaria-a-Velha

O Grupo Os Mosqueteiros abriu um supermercado Intermarché, em Albergaria-a-Velha, distrito de Aveiro.

A loja ocupa 1.135 metros quadrados e foi alvo de um investimento de três milhões de euros.
O Intermarché é dotado de uma galeria comercial, composta por duas lojas e uma cafetaria, que permitiu a criação de 40 novos postos de trabalho.

A área de influência do supermercado atinge 25.900 potenciais clientes residentes no concelho de Albergaria-a-Velha.

Rita Gonçalves, Hipersuper, 04/12/2009

domingo, 25 de agosto de 2013

Alba design - Fundição de ideias e negócios


uma proposta de 2012 por Hugo Almeida / Arquitectos Anónimos
ainda por concretizar




ALBA DESIGN - FUNDIÇÃO DE IDEIAS E NEGÓCIOS, é um projecto que resulta da vontade de criar um espaço inovador dedicado ao empreendedorismo, comércio, formação, ensino, Cultura e lazer.

O projecto pretende criar sinergias com a história de Albergaria e da ALBA com todo o seu espólio industrial e histórico.

Contará com espaços como o Museu de Albergaria e da ALBA, Clusters Empresariais, Núcleos de Ensino, Formação e Conservação e também Espaços Comerciais.

- Alba Design Fundição

Incubadora/geradora de empresas
Serviços Administrativos Partilhados
Centro de Negócios, Valorização e Transferêncía de Saberes e Tecnologia
Rede de Competências Empresariais (Design Industrial, Fundição, Moldes,
Agroalimentar, Saúde, etc..)

- Alba Design Expo

Centro de Exposições
Showroom empresarial
Gabinetes de Ação Empresarial e Cultural

- Alba Design Desenvolvimento e Formação

Design e Engenharia de Produto
Metalurgia, Design Industrial e Moldes
Desenvolvimento de criatividade e talentos
Formação e Aprendizagem
Centro de Experiências e Inovação Partilhada
Gabinete Patentes e Direitos de Autor
Parcerias com Institutos de Investigação e Universidades

- Alba Design Museu

História do Território de Albergaria
A Estrada – Centro de aprendizagem pedagógica Rodoviària
A ALBA

- Alba Design Arquivo (vivo)

Arquivo e Tratamento de Espólio
Consulta e Pesquisa
Atelier Pedagógico

- Zona Social

Lounge
Bar e Cafetaria
Zona de Descanso

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Albergaria-a-Velha 2002

A câmara vai encomendar plano estratégico de desenvolvimento do concelho.

É uma das prioridades traçadas no plano de actividades para 2002, que o executivo aprovou por unanimidade e vai agora submeter à apreciação da Assembleia Municipal.

Ainda na área do planeamento, é assumido a necessidade de proceder à revisão do plano director municipal (PDM) e a importância da administração central definir o traçado do Itenerário Completar 2 (IC2) que atravessa o concelho.

O orçamento atinge quase 22,4 milhões de euros. Na gestão desta verba, a Câmara afirma que vai ter em conta compromissos assumidos anteriormente e novos projectos a comparticipar com verbas comunitárias até 2006.

A presidência dá "especial atenção" a algumas áreas específicas. No apoio social, vai ser cedida uma parcela de terreno para a Associação Mão Amiga construir um centro de recursos sociais para a família . A recuperação de casas degradadas no bairro Napoleão é outra prioridade.

No sector da educação são reservadas verbas para reparar edifícios escolares por todo o concelho. Quanto À cultura, é dado relevo ao projecto de restauro do cine teatro Alba e a adapção da casa do Torreão a Fórum Municipal. No domínio da saúde, aponta-se para este ano o início da ampliação do centro de saúde da Vila.

Outras prioridades

» Transferência da Biblioteca Municipal para a antiga escola Conde Ferreira

» Beneficiação da piscina municipal

» Adesão ao programa da Rede Social

Notícias de Aveiro, 15/02/2002

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Biblioteca

HISTÓRIA

Em Janeiro de 2002, logo após a tomada de posse do atual executivo, a Fundação Calouste Gulbenkian, detentora de um pólo de Leitura em Albergaria-a-Velha, informou a Câmara Municipal de que ia encerrar o espaço e cessar a sua presença no Concelho.
 A Câmara Municipal, preocupada com este vazio, e ciente da necessidade desta resposta cultural e educativa no Município, diligenciou no sentido de, rapidamente, encontrar um espaço onde pudesse criar, ainda que em situação provisória, uma Biblioteca Municipal.

Fruto da boa aceitação da Junta de Freguesia de Albergaria-a-Velha, acordaram as duas entidades instalar a Biblioteca Municipal no Salão Nobre da Junta de Freguesia, ficando esta privada daquele espaço durante o período de tempo necessário à criação de um outro, adequado e condigno, pela Câmara Municipal.

Reconhecendo o interesse e valorizando o esforço que a Câmara Municipal fez no sentido de diligenciar com a maior brevidade o preenchimento desta lacuna, a Fundação Calouste Gulbenkian cedeu os fundos do extinto Pólo de Leitura, a que juntou outros, entretanto enviados, que serviram de base à abertura do novo espaço.

Assim, em Abril de 2003, a Biblioteca Municipal de Albergaria-a-Velha abriu as portas aos seus leitores num espaço provisório, com os constrangimentos naturais, e com uma coleção muito limitada. Desde então, a Biblioteca Municipal tem tido a preocupação de enriquecer a sua coleção, de forma faseada, nas diversas classes, com especial preocupação pela atualização de novidades literárias.

Não obstante a solução encontrada, a Câmara Municipal encetou, desde logo, junto da Direcção-Geral do Livro e da Biblioteca (na altura Instituto do Livro e da Biblioteca) todas as diligências no sentido de encontrar uma resposta definitiva, criando um novo espaço, adequado às necessidades dos leitores e com todas as condições dignas de uma Biblioteca Municipal.

O Executivo Municipal viu no projeto da recém-inaugurada Biblioteca Municipal, para além do cumprimento das funções a que se destina, uma ótima oportunidade para a requalificação de um edifício emblemático do Município.

Tradicionalmente conhecido como “A Casa do Torreão”, o edifício requalificado e ampliado assume-se como a referência num terreno de dimensões generosas, sobranceiro a uma das entradas na cidade. Todo o conjunto assume uma particular relevância, pela forma exposta da sua topografia e imagem sobre o atual traçado do IC 2, e da ligação com uma das freguesias contíguas à sede do Concelho, Valmaior.

Aproveitando a localização privilegiada do edifício, central, de fácil acesso, e as excelentes potencialidades da sua envolvente, com um espaço exterior que permite o desfrutar dos prazeres da leitura e a dinamização de diversas atividades complementares, a intervenção assentou, essencialmente, na manutenção das fachadas existentes, na preservação dos elementos de interesse histórico e patrimonial e na construção de um novo corpo. Todas as áreas funcionais da Biblioteca ficam localizadas num só piso. O 1.º andar do edifício destina-se aos serviços internos e ao Salão Nobre (sala polivalente), o qual beneficia de invulgar beleza, conferida por telas de Domingos Costa (1910) e tetos trabalhados da mesma época.

Volvidos os trabalhos de requalificação e ampliação do Palacete e Torreão da Quinta da Boa Vista, a 22 de Junho de 2013 é inaugurada a Nova Biblioteca Municipal de Albergaria-a-Velha, abrindo-se, assim, uma nova página na História desta Biblioteca.

A Biblioteca Municipal de Albergaria-a-Velha, pertencente à Rede Nacional de Leitura Pública, enquadra-se, desde então, na tipologia BM2.

http://albergaria.bibliopolis.info/ABiblioteca/Sobren%C3%B3s.aspx#tab-3

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Inauguração do Salão Nobre

No dia 3 de Agosto foi inaugurado o Salão Nobre da Junta de Freguesia de Albergaria-a-Velha aproveitando a zona que esteve cedida à biblioteca.

http://www.freguesiadealbergaria.pt/


Autarcas