segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Revista Albergue nº 3



Revista Albergue vai ser apresentada no dia 5 de novembro na Biblioteca Municipal 
A Câmara Municipal de Albergaria-a-Velha vai apresentar o terceiro número da revista “Albergue – História e Património do Concelho de Albergaria-a-Velha” no dia 5 de novembro, pelas 17h00, na Biblioteca Municipal. A publicação anual da Autarquia, que promove a investigação, preservação, valorização e divulgação do património concelhio, conta com 16 artigos de diversos investigadores locais e nacionais, bem como a contribuição de um autor brasileiro.


A revista Albergue pretende ser um local onde investigadores da História e do Património local “possam editar os resultados dos seus estudos, fomentando e incentivando, assim, o aparecimento de mais e melhores trabalhos de investigação sobre estas temáticas”, salienta Delfim Bismarck, Vice-Presidente da Câmara Municipal e Diretor da publicação. Os dois primeiros números, lançados em 2014 e 2015, esgotaram pelo que a edição deste ano terá uma tiragem de 600 exemplares, mais cem do que nos anos anteriores.


Os artigos publicados abordam variados temas, como a arte sacra, o cinema, a emigração, a política e a religião, abarcando não só o património edificado, mas também o natural, o imaterial e o geológico. “Manuel Guimarães – O Cinema ou a Vida”, de Leonor Areal, “A Fauna e Flora na Envolvente ao Rio Fílveda”, de Milene Matos e “As Mamoas do Taco (Albergaria-a-Velha) – Recuperação e Valorização Patrimonial”, de Pedro Sobral de Carvalho e Vera Caetano são alguns dos artigos que podem ser encontrados no terceiro número da revista Albergue.


Destaca-se, ainda, o estudo biográfico do brasileiro Wanderlei de Oliveira Menezes intitulado “A Trajetória de José Álvares Ferreira (1737-1810) – Um Albergariense e a Carreira da Magistratura no Reino e Ultramar Português”.


A imagem de capa é um retrato a óleo de Bernardino Máximo de Albuquerque existente no Salão Nobre dos Paços do Município. “Homenageamos aquele que foi provavelmente o principal autarca Albergariense de todos os tempos, e que marcou a viragem do século XIX para o século XX, bem como a transição da Monarquia para a República”, explica Delfim Bismarck.


A revista Albergue pode ser adquirida na Biblioteca e Arquivo Municipais pelo preço de dez euros.        

Data: 28-10-2016

CMA

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Advogados 1951

REVISTA DA ORDEM DE ADVOGADOS

O DR. ANTONIO DE PINHO que eu recordo e que tanto me ensinou de Direito (de Direito e doutras coisas) é já o da segunda metade da sua vida, pois quando eu comecei a advogar, ele Já tinha 66 anos. Havia, então, cá, quatro Advogados: o DR. PINHO, o Dr. Hernâni Ferreira de Miranda, o Dr. Silvino Gonçalves de Sousa (estes dois eram Advogados e Notários) e o Dr. Armando de Albuquerque Miranda, que usava o nome de Armando de Albuquerque. [Mais o Dr. Alfredo de Sousa e Melo e o Dr. Manuel Homem Ferreira que começou a advogar quase quando eu!] Eu comecei a advogar em 1950, mas já cá estava desde 1944, ano em que morreu meu pai e em que eu tive de me fixar em Albergaria-a-Velha. Até 44, eu andava a monte... por Lisboa, pelo Porto, por onde calhava...

Vasco Lemos Mourisca, Arauto de Osseloa, 01/04/1983http://novos-arruamentos.blogspot.pt/2014/01/albergaria-e-o-seu-concelho.html


O Dr. Hernâni Miranda faleceu em 1944 (cf. livro "Gente Ilustre em Albergaria-a-Velha")


RELAÇÃO DOS ADVOGADOS INSCRITOS NA ORDEM EM 31 DE DEZEMBRO DE 1951

ALBERGARIA-A-VELHA

- Dr. Alfredo de Sousa e Melo.
- Dr. António Fortunato de Pinho.
- Dr. Armando de Albuquerque Miranda.
- Dr. Manuel Homem de Albuquerque Ferreira.
- Dr. Silvino Gonçalves de Sousa.
- Dr. Vasco de Lemos Mourisca.