sábado, 27 de outubro de 2012

Jogo amigável na Branca

Tarde de golos e festa vermelha

Branca Activa, 0 – S.L. Benfica, 16

Branca Activa: Fábio; Fidel, Alex, Ruizinho e Paulo – cinco inicial. Jogaram depois: João Ricardo, Luís Cândido, Nunes, Nuno, Carlitos e Décio.

Suplente não utilizado: Armando.

Treinador: Fausto Leite.

S.L. Benfica: Zé Carlos; Pica Pau, Zé Maria, André Lima e Majó- cinco inicial. Jogaram depois: Bruno Tavares, Jesus, Leandro, Pirata, Ricardinho, Jardel e Miguel Almeida.

Treinador: João Ferreira

Pavilhão: Municipal da Branca, na Branca.
Assistência: Cerca de 2.000 espectadores.
Árbitros: João Salgueiro e Paulo Oliveira.
Cronometrista: Luís Valente
Ao intervalo: 0-9.

Marcadores: Zé Maria (3), 4,12, 4,20 e 16,57; Pirata (2), 7,02 e 7,50; Ricardinho (3), 8,22, 27,30 e 39,20; Jesus (1), 10,25; André Lima (4), 19,10, 19,56, 36,35 e 36,40 e Jardel (3), 30,26, 33,16 e 34,10.

Acção disciplinar: Nada a registar.

A equipa de futsal do Benfica, actual campeã nacional, veio ao pavilhão municipal da vila da Branca, realizar um jogo amigável com o Branca Activa, equipa do concelho de Albergaria-a-Velha, que disputa o campeonato distrital de futsal da 2ª divisão da Associação de Futebol de Aveiro.

Os «encarnados» venceram por 16-0, com as suas principais «estrelas» a brilharem intensamente, com André Lima a «facturar» por quatro vezes e Ricardinho, Zé Maria e Jardel a marcarem três golos cada um.

O pavilhão da vila da Branca encheu-se de público que se deliciou com a categoria dos craques benfiquistas, que no final não deixaram de assinar centenas de autógrafos em tudo quanto lhes foi colocado à frente, desde camisolas, bonés, bandeiras, cachecóis, ou folhas de papel. Quanto ao jogo propriamente dito, a história do mesmo resume-se à total supremacia do Benfica, que demorou pouco mais de quatro minutos a embalar para a goleada, que de resto, podia ter sido bastante mais expressiva, não fosse um certo abrandar de ritmo, no início da segunda parte, em que durante mais de sete minutos, a baliza defendida por Fábio não foi atingida. Depois voltou a superioridade dos vencedores, ainda que a boa réplica do Branca Activa tenha sido bastante vincada, merecendo marcar pelo menos dois golos, que os seus jogadores desperdiçaram em outros tantos momentos, primeiro, num livre directo, resultante da sexta falta benfiquista, já em cima do intervalo, que Ruizinho rematou por cima da barra e a dois minutos do fim, quando o guardião Fábio, que por sinal realizou uma bela exibição, evitando uma série de golos adversários, beneficiando do facto do Benfica ter tirado o guarda-redes Zé Carlos, trocando-o pelo quinto jogador de campo, repôs a bola em jogo com um remate comprido, que saiu a centímetros do poste da baliza «encarnada». A vitória do Benfica traduz o seu intenso domínio, mas a tarde foi de festa, que teve ainda a participação da Associação de Futebol de Aveiro, com o vice-presidente do Conselho de Arbitragem, Sá Neves, a entregar uma lembrança da AFA ao seu filiado Branca Activa, na pessoa do presidente da direcção, Artur Salsa, comemorativa deste bem conseguido evento. De resto, os dirigentes do Branca Activa, fazem mesmo jus ao epíteto de «activos», pois, embora o clube tenha apenas um ano de existência já antes tinham realizado outros jogos amigáveis com equipas tão credenciadas como o Freixieiro e a Associação Académica de Coimbra.
Arbitragem sem problemas, limitando-se a conferir as faltas e a assinalar os golos… do Benfica.

O miticismo do «poder vermelho»


A vila da Branca tem hoje em dia uma colectividade desportiva que «pegou de estaca» e que já se pode considerar um novo embaixador do desporto da segunda maior freguesia do concelho de Albergaria-a-Velha. Com efeito, os dirigentes do Branca Activa podem orgulhar-se do excelente trabalho que estão a desenvolver e que teve o seu ponto alto mais alto neste espectacular jogo que, à conta do glorioso SLB encheu por completo a ampla banca do pavilhão municipal branquense. Foi empolgante verificar como as pessoas viveram este belo evento, que o misticismo que o nome do grande Sport Lisboa e Benfica transporta e congrega. Até o leilão de uma bola autografada por todos os jogadores do Benfica fez parte de uma tarde de sonho que muitos, sobretudo as crianças e os adolescentes vão recordar ao longo do resto das suas vidas. Para completar, registem-se as excelentes participações do grupo Gin Sport, de Soutelo, que efectuou um belo número de ginástica acrobática, justamente premiado com quentes aplausos do público,

A vertente social também não foi deixada de parte e a recepção realizada na Junta de Freguesia da Branca foi digno da fidalguia do clube organizador a das gentes branquenses.

Por fim e pela parte que toca ao jornalista, obrigado pela honra que me deram em apresentar os vários interpretes da tarde. Afinal, foi na Branca que me fiz homem, à conta de 27 anos de trabalho na hoje desaparecida Fábrica Cerâmica da Branca. Por isso e por tudo o resto, obrigado Branca Activa e obrigado amigos branquenses, muitos dos quais pude reencontrar na estupenda e memorável tarde do domingo 10 de Julho de 2005.

Jacinto Martins / Jornal de Albergaria

Sem comentários: