quarta-feira, 24 de abril de 2013

Eleições Autárquicas 2005

ALBERGARIA-A-VELHA:

Área: 155 Km2.

População: 25.230 habitantes.

Freguesias: 8 (Albergaria-a-Velha, Alquerubim, Angeja, Branca, Frossos, Ribeira de Fráguas, S. João de Loure, Valmaior).

Autárquicas 2001 (Câmara Municipal - 7 mandatos) Eleitores: 19.687 Votantes: 13.012 (66,1%) Brancos: 199 (1,5%) Nulos: 149 (1,1%) PSD - 5.509 (42,3%) - 4 mandatos CDS-PP - 5.360 (41,2%) - 3 mandatos PS - 1.075 (8,3%) Lista I - 449 (3,5%) CDU - 169 (1,3%) BE - 102 (0,8%) Presidente eleito: João Agostinho Pinto Pereira.

Autárquicas 2005 - Eleitores: 19.943

Candidatos

PSD - João Agostinho Pinto Pereira.
CDS-PP - Carlos Resende.
PS - Jesus Vidinha.
CDU - Miguel Bento.
BE - Vítor Valente.

As eleições autárquicas deram a vitória reforçada ao PSD em Albergaria-a-Velha. Além de manter a maioria absoluta na Câmara, aumentou a representatividade na Assembleia Municipal, onde, com as inerências dos sete presidentes de Junta, passa a contar com 20 dos 29 membros.

O domínio «laranja» foi esmagador nas freguesias, pois ganhou sete das oito Juntas, ao arrebatar Angeja e Ribeira de Fráguas ao CDS/PP e Valmaior ao PS. Apenas Frossos escapou, tornando-se num espécie de «ilha», onde o CDS/PP ganhou a Junta e teve também o maior número de votos para a Câmara e Assembleia de Municipal. Quanto ao PS, terá atingido o seu principal objectivo, o de recuperar o vereador perdido em 2001, o que de algum modo compensa a «dor» de ter visto escapar Valmaior, que nos últimos mandatos foi a sua única Junta de Freguesia.

O grande derrotado foi sem dúvida o CDS/PP que, em relação às eleições de 2001, para a Câmara, perdeu 2.374 votos, de 5.361 para 3.087. O PSD, subiu 2.123 votos: teve 5.510 e agora chegou aos 7.633. No entanto, manteve os mesmos quatro eleitos, incluindo os reeleitos João Agostinho Pinto Pereira e os três vereadores Flausino José Pereira da Silva, Laerte Macedo Pinto e José Licínio Tavares  Pimenta. Ficou a escassos 16 votos de eleger o quinto vereador, pois a divisão do PSD por cinco, pelo método de Hondt deu 1.528, enquanto a dos votos do CDS/PP por dois, deu 1.544. Dito de outro modo: Rui Marques, que foi presidente da Câmara Municipal durante 16 anos, quase ficava de fora e António Marques de Melo, do PSD ficou à beirinha de ser eleito. Carlos Resende e Rui Marques serão os vereadores do CDS/PP e Jesus Vidinha, que foi eleito à vontade, em sexto lugar, vai representar o PS na Câmara Municipal até 2009. Em relação ao PS, a subida, foi de 524 votos, isto é, 1.076 há quatro anos e 1.600 desta vez e também aqui há o facto curioso do aumento dos socialistas andar próximo dos 439 votos obtidos em 2001 pela lista dos Independentes por Albergaria.

Numa leitura ainda que sumária dos resultados, leva a concluir que os votos que o PSD subiu, são mais ou menos aqueles que o CDS/PP desceu e que à subida do PS correspondem, quase os votos que a lista dos Independentes por Albergaria obteve há quatro anos para a Câmara Municipal. Claro que podem ser feitas outras leituras, mas do que não restam dúvidas é que a supremacia «laranja» é um dado incontroverso, enquanto a descida acentuada do CDS/ /PP e a razoável recuperação do PS dão para concluir que algo mudou no concelho, mais que não seja, porque os eleitores conferiram ao PSD um capital de confiança reforçada que ninguém poderá colocar em dúvida. Outra nota importante tem a ver com o facto de PSD e CDS/PP (este, embora com o «trambolhão» eleitoral já citado), terem representação em todos os órgãos que se apresentaram às eleições, enquanto o PS não conseguiu eleger nenhum elemento para as Assembleias de Freguesia da Branca, Frossos e São João de Loure, mas na AM passou de dois para três elementos, os mesmos que tinham antes, pois ao ganho de um directo, correspondeu a perda de um inerente, o anterior presidente da Junta de Valmaior. A CDU e o Bloco de Esquerda terão ficado aquém das suas expectativas, que eram, no mínimo, eleger alguém para a AM ou para alguma Assembleia de Freguesia. Finalmente, a Lista dos Independentes, que concorreu à Assembleia Municipal, desta vez e ao contrário de 2001, não elegeu o seu cabeça-de-lista, Eduardo Marques.  

Quanto às Juntas de Freguesia, o PSD conseguiu a maioria absoluta em Albergaria-a-Velha, Branca, Alquerubim, Angeja e São João de Loure, mas vai necessitar de acordos na Ribeira de Fráguas e em Valmaior, onde elegeu quatro dos nove mandatos. O CDS venceu Frossos com maioria absoluta, ao eleger quatro, enquanto o PSD elege três.

Jacinto Martins / Soberania do Povo, 30/10/2005

-- Jornal Regional --

Tomaram posse os autarcas do município de Albergaria-a-Velha

Continuando obra feita

João Agostinho Pereira tem mais quatro anos pela frente para dar continuidade ao progresso que Albergaria-a-Velha almeja.

Na noite do último dia de Outubro, tomou posse a nova Câmara, bem como os membros da Assembleia Municipal. João Agostinho Pereira começou, então, o seu segundo mandato como presidente da autarquia e Flausino Pereira da Silva mantém-se como vice-presidente. Quanto aos vereadores, eles são Laerte Macedo Pinto, José Licínio Pimenta, Carlos Resende, Rui Marques e Jesus Vidinha Tomás. Na Assembleia Municipal, o PSD detém a maioria, com treze elementos; o CDS-PP conseguiu eleger cinco, enquanto o PS totaliza três representantes no deliberativo. Quanto aos presidentes das juntas de freguesia, sete são do PSD e um (de Frossos) é do CDS-PP. Através de votação secreta, estes 29 elementos elegeram o novo presidente da Assembleia Municipal, tendo Rogério São Bento Camões saído vencedor com uma maioria de 21 votos. Para 1º e 2º secretários mantiveram-se Mário Ferreira Couto e Carlos Manuel Melo Mortágua.

No seu discurso, João Agostinho Pereira agradeceu a todos aqueles que colaboraram com o seu executivo no mandato autárquico 2002/2005 e que “contribuíram para a construção de um concelho com mais e melhor qualidade de vida”.

Valter Santos / Caima Jornal

João Agostinho distribuiu pelouros em Albergaria-a-Velha

Na primeira reunião da recém-eleita Câmara Municipal de Albergaria-a-Velha, ficou deliberado que as reuniões ordinárias do executivo continuam a realizar-se na primeira e terceira quarta-feira de cada mês, sendo a primeira das sessões aberta ao público. O presidente João Agostinho Pereira propôs a continuidade dos já antes vereadores Laerte Macedo Pinto e José Licínio Pimenta, a tempo inteiro, bem como a manutenção de Flausino Pereira da Silva nas funções de vice-presidente da Câmara. Estes quatro eleitos do PSD, serão os únicos por quem foram distribuídos pelouros, os quais cabem no seguinte quadro:

João Agostinho Pereira fica responsável pela Administração Geral, Recursos Humanos, Segurança, Protecção Civil, Saúde, Acção Social, Habitação, Obras Municipais, Mercados e Feiras e ligações com a Comunicação Social. A Laerte Macedo Pinto cabem Obras Particulares, Planeamento e Ordenação do Território, Loteamentos, Urbanismo, Trânsito e Ambiente e Qualidade de Vida. Quanto a José Licínio Pimenta, será responsável pelas áreas de Educação, Desporto, Juventude, Cultura, Turismo e Informação Municipal. Por fim, ao «vice» Flausino Pereira da Silva foi entregue o pelouro das Actividades Económicas, para lá das funções inerentes à sua qualidade de vice-presidente e substituto natural do presidente da Câmara Municipal, nas suas faltas ou impedimentos.

Rui Marques vai tomar posse como vereador

Em função deste organograma, os vereadores da oposição, Carlos Resende e Rui Marques, do CDS/PP e Jesus Vidinha, do PS, ficam sem pelouros, embora participando nas reuniões quinzenais do executivo albergariense, que João Agostinho Pereira garante querer ver «agilizado, funcional e actuante, em benefício das populações do concelho».

Nota ainda para o facto de Rui Marques ainda não ter tomado posse como vereador, pois não o fez no dia 31 de Outubro, aquando da instalação dos novos órgãos concelhios, Câmara e Assembleia Municipal, por se encontrar de férias nem compareceu na primeira reunião do executivo, realizada no passado dia 4, neste caso e segundo o próprio Rui Marques, «por me encontrar a trabalhar, na minha profissão de médico, a dar consultas na extensão de saúde da Branca».

No entanto, -acentuou Rui Marques - «estarei na próxima reunião, onde tomarei posse, para cumprir as funções de vereador nestes quatro anos, pois não pedi suspensão do mandato nem renunciei ao cargo para que fui eleito pelos meus concidadãos do concelho». A próxima reunião do executivo albergariense realiza-se na quarta-feira, 16 deste mês e tudo aponta para nesse dia Rui Marques tome posse e assuma formalmente as funções de vereador. Na reunião do dia 4, o socialista Jesus Vidinha lamentou o facto nenhum vereador da oposição ter sido indicado para representar o município em instituições do género, por exemplo, da Filarmonia das Beiras, ou outras de igual estatuto.

Quanto aos Serviços Municipalizados de Águas e Saneamento, mantém-se o anterior Conselho de Administração, do qual fazem parte o presidente João Agostinho Pereira e os vogais Flausino Pereira da Silva e Laerte Macedo Pinto.

Jacinto Martins

 João Agostinho mantém a presidência da Câmara

João Agostinho Pereira mantém a presidência da Câmara Municipal, repetindo a maioria absoluta de há 4 anos. O score de votos aumentou cerca de 2200 em relação às anteriores eleições. Apesar disso, este aumento não foi o suficiente para ganhar mais um vereador, que fugiu por poucos votos.

Os resultados foram esmagadores em relação às duas forças concorrentes, CDS, que perdeu um vereador, e PS que reconquistou o vereador que havia perdido em 2001.

Para a Assembleia Municipal, o PSD tem a maioria absoluta, sendo certo que o Prof. Rogério Camões será finalmente o seu Presidente, objectivo que lhe fugira em 1993.

O domínio do PSD é absoluto nas Assembleias de Freguesia, conquistando 7 das 8 Juntas que estavam a concurso, apenas escapando Frossos. Frossos é, aliás, uma ilha de “irredutíveis”, pois foi a única freguesia onde o PSD não venceu qualquer das três eleições, todas ganhas pelo CDS.

Desde que há eleições autárquicas em Albergaria-a-Velha, nunca o cenário foi tão monocromático quanto agora, onde domina o ”laranja”. É evidente que o mérito destes resultados é todo de João Agostinho Pereira que, como líder partidário e como Presidente de Câmara, teve a arte e o engenho para, a tempo e horas e com persistência, lançar os caboucos deste “passeio triunfal”, com que culminou o mais espectacular resultado eleitoral que alguma vez uma força partidária conseguiu em Albergaria-a-Velha.

Jornal de Albergaria, 30/10/2005

Resultados e mandatos

Encerradas que estão as contas eleitorais do passado dia 9 de Outubro, a posse dos novos autarcas do concelho de Albergaria-a-Velha será dada pelo ainda presidente da Assembleia Municipal, José António da Piedade Laranjeira, que por sinal vai ser substituído no cargo por Rogério São Bento Camões, cabeça-de-lista do PSD ao órgão deliberativo concelhio.

Falta ainda fazer o apuramento definitivo dos resultados, mas não devem registar-se alterações quanto aos mandatos já atribuídos no apuramento provisório.

Nos próximos quatro anos, a Câmara e Assembleia Municipal e as 8 Juntas de Freguesia vão ser geridas pelos seguintes autarcas:

Câmara Municipal

João Agostinho Pereira, Presidente da Câmara

PSD – 4 mandatos

João Agostinho Pinto Pereira, presidente
Flausino José Pereira da Silva
Laerte Macedo Pinto
José Licínio Tavares Pimenta

CDS/PP - 2 mandatos

Carlos Alberto Almeida Coelho Silva Resende
Rui Manuel Pereira Marques

PS – 1 mandato

Jesus Manuel Vidinha Tomás

Assembleia Municipal

Rogério Camões, Provável Presidente da Assembleia Municipal

PSD – 13 mandatos

Rogério de São Bento Camões (será decerto eleito na primeira reunião)
Fausto Miguel Vidal Meireles Azevedo
Olga Marques Santos Ladeira
Ana Maria Marques Silva Moura
Carlos Manuel Melo Mortágua
Mário Ferreira Couto
Rufino Simões Carvalho Costa
Maria Nazaré Campos Bastos Correia
Adalberto Silva Carvalho
Olga Sofia Rodrigues Paço Castanheira
Luís Fernando Leal Duarte Oliveira
Alberto Emanuel Camões Sobral
João Paulo Silva Costa

CDS/PP – 5 mandatos

Maria Emília Oliveira Ribeiro
Saul Oliveira Silva
Plácido Melo Silva
José António Nogueira Souto Amaro Pereira
José Miguel Martins Pereira

Partido Socialista – 3 mandatos

Helena Maria Vinga
Carlos Manuel Silva Nunes
João Carlos Nunes Lourenço

A estes 21 nomes eleitos directamente juntam-se os 8 Presidentes das Juntas de Freguesia (7 do PSD e 1 do CDS/PP), o que dá à

Assembleia Municipal a seguinte composição: PSD, 20 deputados municipais; CDS/PP, 6 e PS, 3. Total: 29 membros.

Assembleia de Freguesias

Albergaria-a-Velha

José Manuel Torres e Meneses, Presidente da Junta

PSD – 7 mandatos, maioria absoluta

José Manuel Torres e Meneses - presidente
Luísa Margarida Marques Nogueira
Manuel Bernardino Oliveira Terceiro
Manuel Rodrigues Marques Cruz
Manuel Silva Pereira
Elder Macedo Pinto
João Pedro Ré Nogueira Santos

CDS/PP – 4 mandatos

António Augusto Amaral Loureiro Santos
Arménio Santos Silva
José Manuel Leite Magalhães
Fátima Maria Rosário Coelho Silva Resende

Partido Socialista – 2 mandatos

Carlos Manuel Ferreira Marques Lemos
Amândio Ferreira Bastos

Alquerubim

Carlos Manuel Moreira Branco, Presidente da Junta

PSD – 7 mandatos, maioria absoluta

Carlos Manuel Moreira Branco - presidente
Patrícia Filipe Lopes Mortágua
António Gualter Jesus
José Dias Silva
António Manuel Silva Oliveira
Eugénia Maria Oliveira Frias
Manuel Fernando Costa Leonardo

Partido Socialista – 1 mandato

António Rodrigues Almeida

CDS/PP – um mandato

Joaquim Marques Branco

Angeja

António Nunes Almeida, Presidente da Junta

PSD – 5 mandatos, maioria absoluta

António Nunes Almeida, presidente
José Manuel Lopes Oliveira
Vítor Manuel Marques Santos Abreu
Adolfo Alves Tavares
Filomena Jesus Silva Bastos

CDS/PP – 3 mandatos

José Manuel Dias Neves
Aristides Santos Rodrigues Gonçalves
Pedro Miguel Midões Nunes

PS – 1 mandato

Helder José Vidinha Tomás

Branca

Fernando Soares Ferreira, Presidente da Junta

PSD 5 mandatos, maioria absoluta

Fernando Soares Ferreira, presidente
Ângelo José Jesus Soares
Manuel Soares Faria
Lúcia Maria Azevedo Antão
Carlos Cruz Rodrigues

CDS/PP – 4 mandatos

Pedro Jorge Nunes Santos
José Figueira Silva
Albérico Pereira Santos Almeida
Sandra Margarida Pereira Marcelino

Frossos

João Miguel Ribeiro Coutinho, Presidente da Junta

CDS/PP - 4 mandatos, maioria absoluta

João Miguel Ribeiro Coutinho, presidente
Marisa Pereira Paço
Fernando Fernandes Pinho
António Tavares Dias

PSD – 3 mandatos

Óscar Manuel Rodrigues Pinho
Ascenção Rodrigues Paço Simões
António Nunes Oliveira

Ribeira de Fráguas

José António Pinho Laranjeira, Presidente da Junta

PSD – 4 mandatos, maioria relativa

José António Pinho Laranjeira, presidente
António Silva Tavares
Armelim Bastos Correia
Sónia Cristina Fonseca Campos

CDS/PP – 3 mandatos

Manuel Henrique Araújo Martins
Fernando Resende Bastos Silva
Alberto Valente Gomes

Partido Socialista – 2 mandatos

Manuel Lourenço Silva

São João de Loure

Adalberto Manuel Mónica Correia Póvoa, Presidente da Junta

PSD – 7 mandatos, maioria absoluta

Adalberto Manuel Mónica Correia Póvoa, presidente
Luís Artur Ferreira Azevedo Silva
António Marques Melo
Rui Manuel Cruz Oliveira
Manuel Sucena Santos
Paulo Jorge Silva Marques
Bruno Manuel Linhares Ferreira Sousa

CDS/PP – 2 mandatos

Arménio Henrique Martins Silva
Dina Manuela Melo Silva Morgado

Valmaior

Pedro Miguel Pais Marques Silva, Presidente da Junta

PSD – 4 mandatos, maioria relativa

Pedro Miguel Pais Marques Silva, presidente
Adelino Manuel Gomes Tavares
José Carlos Silva Santos
Helder Miguel Lemos Ferreira

Partido Socialista – 3 mandatos

José António Rodrigues Tavares
José António Costa Marreiros
Fernando César Pereira Silva

CDS/PP – 1 mandato

Joaquim Tavares Bastos

Independentes por Valmaior – 1 mandato

Manuel Araújo Silva Letra

Feita a soma dos eleitos, o seu número é de 102, assim distribuídos: Câmara Municipal, 7 elementos; Assembleia Municipal, 21 elementos; Juntas de Freguesia: 74 elementos.

Por partidos, temos a seguinte distribuição de mandatos: PSD: 59( 4 CM, 13 AM e 42 AF); CDS/PP: 29 (2 CM, 5 AM e 22 AF); PS: 13 (1CM, 3 AM e 9AF); Independentes por Valmaior: 1 (1AF).

Foi portanto a estes 102 candidatos que os eleitores do concelho de Albergaria-a-Velha concederam mandato e poderes para gerir a vida autárquicas dos cerca de 26 mil habitantes espalhados pelas oito freguesias. Que sejam felizes e decerto que daqui a quatro anos, o povo, com a sua provada clarividência e sentido de justiça, fará, de novo nas urnas de voto, o seu sempre definitivo julgamento

Jacinto Martins / Jornal de Albergaria

Sem comentários: